A concepção leibniziana de verdade

Chaianne Maria Faria

Resumo


No opúsculo O que é a ideia, de 1678, Leibniz expõe o conceito de expressão: uma certa analogia entre as relações e aspectos de uma coisa e as relações e aspectos de outra, pela qual se torna possível, a partir apenas da contemplação de um dos conjuntos de relações, obter conhecimentos sobre as relações e propriedades vigentes no outro. leibniz apresenta essa capacidade expressiva como uma das características essenciais da ideia, de modo que, conhecendo-se a construção de relações presente entre os elementos da ideia é possível obter noções que correspondam à perfeição ao seu objeto. O estudo a ser empreendido neste texto consiste em tomar o conceito leibniziano de expressão, assim como a concepção de ideia determinada por esse conceito e, na sequência, em uma segunda parte, examinar a tese de Leibniz de que o mundo é perpassado por uma construção racional, da qual o pensamento participa, para, a partir daí, esclarecer como o filósofo pode definir a natureza das proposições verdadeiras tão somente pela conexão de inerência do predicado ao sujeito e ao mesmo tempo requerer um fundamento na coisa que dê a razão da predicação.

Texto completo:

PDF

Referências


BURCKHARDT, H. Observações sobre lógica, ontologia e semântica em Leibniz. In Analytica, Rio

de Janeiro, vol. 18, nº 2, pp. 207-230, 2º semestre de 2014.

FRÉMONT, C. Singularités, individus et rélations dans le systéme de Leibniz. Paris: Vrin, 2003.

LEIBNIZ, G.W. Escritos filosóficos, (Olaso, E. ed) Buenos Aires: Charcas, 1982.

______ Discurso de metafísica e outros textos, São Paulo: Martins Fontes, 2004.

______ Discours de métaphysique, suivi de Monadologie et autres textes. Édition établie,

presentée, e anotée par michel Fichant. Paris: Éditions Gallimard, 2004.

______ L’harmonie des langues et extraits de correspondances. Paris: PUF, 2000.

______ La caractéristique géométrique. Paris: Vrin, 1995.

______ Correspondência com Arnauld. Buenos Aires: Editorial Losada, 1946.

______ Nuevos ensayos sobre el entendimiento humano. Madri: Alianza Editorial, 1992.

______ “Sulla saggezza”, in: Scritti di logica. Roma: Editori Laterza, 1992.

______ Teodiceia – Ensaios sobre a bondade de Deus, a liberdade do homem e a origem do

mal. São Paulo: Estação Liberdade, 2013.

______ Filosofia para princesas. Madri: Alianza Editorial, 1989.

______ Discussão com Gabriel Wagner. In Metafísica, tomo 2 da coleção G.W. Leibniz –

obras filosóficas e científicas. Granada: Editorial Comares, 2010.

LACERDA, T. Leibniz: expressão e Característica universal. In Cadernos Espinosanos, São

Paulo, nº 15, pp. 87-109, 2º semestre de 2006.

______ A expressão em Leibniz, São Paulo, 227 páginas. Tese de doutorado. Universidade

de São Paulo, USP, 2006.

______ Leibniz: a infinitude divina e o infinito em nós. In Cadernos Espinosanos, São Paulo,

nº 34, pp. 39-63, 1º semestre, 2016.

MARQUES, E. Observações preliminares

sobre a raiz da contingência em Leibniz. In

Metafísica, Lógica e outras coisas mais: Rio de Janeiro: Nau, 2012.

MOREIRA, V. C. Linguagem e verdade em Leibniz e Hobbes. In Analytica, Rio de Janeiro,

vol. 10, nº2, pp. 45-87, 2º semestre de 2006.

______ Sed quaeritur quid significet tó: existens. In O Que Noz Faz Pensar (PUCRJ), Rio de

Janeiro, vol. 1, pp. 183-215, 2009.

______ Contingência e análise infinita: estudo sobre o lugar do princípio de continuidade na

filosofia de Leibniz. Porto Alegre, 498 páginas. Tese de doutorado. Universidade Federal do

Rio Grande do Sul, UFRGS, 2001.

RACIONERO, Q. “Verdad y expresion: Leibniz y la critica del subjetivismo moderno”. In:

RACIONERO, Q., ROLDÁN, C. (orgs.) G.W. Leibniz – Analogía y expresion. Madri: Editorial

Complutense, 1994.

RAUZY, J-B. La doctrinne leibnizienne de la vérité – aspects logiques et ontologiques. Paris:

Vrin, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.